«[A Madeira] deve chamar as indústrias leves, não poluentes, ligadas às novas tecnologias da comunicação e informação, ao designe e vestuário, à eletrónica. Devem ser concedidos incentivos fiscais às empresas que se venham aqui instalar», reforçou.


«Recordo, aqui, que Portugal é o segundo maior consumidor de peixe do mundo e está a importar 70% do peixe que consome, e na Madeira mais de 50%. E esse peixe que é importado é o peixe que é pescado nas águas da Região Autónoma pelas frotas estrangeiras», afirmou.