O Presidente da República disse esta quarta-feira na Lousã, distrito de Coimbra, que seria mais negativo para o país a antecipação das eleições legislativas do que a sua realização no período de 14 de setembro a 14 de outubro.

Aníbal Cavaco Silva falava à margem de uma visita ao laboratório dos estudos sobre incêndios florestais, localizado na Lousã.

«Posso afirmar que seria mais negativo ter antecipado as eleições. É bom que Portugal se habitue, como a grande maioria dos países europeus à normalidade democrática», disse o chefe do Estado aos jornalistas.

As eleições «irão por isso ter lugar entre o dia 14 de setembro e 14 de outubro», sublinhou Cavaco Silva.

Já em novembro de 2014, o Presidente da República tinha recusado a antecipação das legislativas, numa entrevista ao semanário Expresso, referindo que só uma alteração da lei eleitoral pelo parlamento ou uma «grave crise política» poderiam antecipar o calendário previsto.

Acompanhado pela ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, e pelo secretário de Estado João de Almeida, o Presidente da República observou na Lousã algumas demonstrações de equipamentos do laboratório e descerrou uma placa que assinala a sua visita ao espaço, na sequência da remodelação e ampliação do mesmo.