O candidato do Partido Popular Europeu à presidência da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciou esta segunda-feira que estará em Portugal a 5 ou 6 de maio para participar na campanha eleitoral europeia, confessando-se um apoiante de sempre do país.

O antigo primeiro-ministro do Luxemburgo e ex-presidente do Eurogrupo falava aos jornalistas portugueses após um encontro de cabeças de lista do Partido Popular Europeu (PPE) às eleições europeias e deixou rasgados elogios a Portugal, onde afirmou, a propósito do programa de assistência, que não «impediria» a opção por uma saída sem programa cautelar.

O conservador luxemburguês não quis contudo detalhar a sua posição, dado que esse é «um debate que decorre em Portugal» e «ainda é muito cedo para uma resposta», garantindo contudo: «Estarei sempre ao lado de Portugal (¿) Lisboa é a cidade de que gosto mais no mundo».

Jean-Claude Juncker disse não crer que sejam necessárias «medidas suplementares» e «mais difíceis» para Portugal e que o país «está a orientar-se no sentido de uma saída da crise».

Juncker disse ter «muito respeito» pelo povo português e pelas dificuldades que o país tem enfrentado, que referiu «acompanhar sempre de perto», e, questionado sobre um excesso de austeridade, considerou que apesar das consequências sociais, «o programa foi negociado entre o Governo e aprovado pela maioria dos partidos no parlamento».

O antigo responsável europeu e candidato à presidência do executivo comunitário voltou a defender uma «consolidação das finanças públicas» em articulação «com políticas de crescimento e emprego».

Fonte da campanha disse à Lusa que o programa da visita de Juncker a Portugal no âmbito da campanha eleitoral, prevista para 05 ou 06 de maio, ainda está a ser preparado.