O candidato comunista à Presidência da República, Edgar Silva, afirmou este sábado que Cavaco Silva deve respeitar as maiorias que garantam "condições de durabilidade e soluções de governo".

"O Presidente da República não tem que decidir qual o partido ou o deputado que deve assumir a responsabilidade de formar governo, tem que respeitar as maiorias que, de forma sustentável, o parlamento garanta com condições de durabilidade e soluções de governo. Isso não tem acontecido, com o Presidente da República a agir ao contrário da Constituição", disse.

Edgar Silva, que esteve hoje com o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, num comício que decorreu no Barreiro, salientou que o Presidente da República, Cavaco Silva, tem partido pressuposto que não existe nenhuma outra alternativa.

"É de lamentar que o Presidente da República tenha feito toda uma intervenção impondo uma inaceitável inevitabilidade e que esteja a tentar impingir ao país uma ideologia autoritária, de que não há outra saída possível que não seja a sua vontade de dar poder a um governo do PSD e do CDS."


O candidato comunista à Presidência da República referiu que Cavaco Silva não tem como dever o de "impor soluções de governo".

"Em conformidade com o texto constitucional, o presidente tem que ouvir os partidos com assento parlamentar e viabilizar as soluções de governo que correspondam às maiorias sustentadas que os deputados garantam no parlamento", frisou.

"Está mais preocupado, em violação flagrante da Constituição, não com a independência e interesse nacional, mas com a vontade dos mercados e dos grandes interesses dos agiotas e especuladores", concluiu.