Esta manhã o silêncio dos governantes foi total sobre o Documento de Estratégia Orçamental e as negociações com a troika.

Na Autoeuropa, os jornalistas confrontaram-se com os vidros fumados dos carros ministeriais e tanto Pires de Lima como Paulo Portas ignoraram as perguntas.

A apresentação do Documento de Estratégia Orçamental foi adiada para esta quarta-feira depois de ter estado prevista para segunda e terça-feira.

Segundo fonte do Ministério das Finanças adiantou à esta terça-feira à TVI, a «transposição prática das decisões do Conselho de Ministros sobre o DEO implica um trabalho técnico muito complexo, que está a ser ultimado. Não estamos em condições comunicar [a informação relativa ao documento]em horário razoável. Fá-lo-emos amanhã», explicou ontem o Governo.

António José Seguro reagiu a este «atraso» do Governo considerando «inaceitável» que o Governo «esconda decisões» sobre o DEO.

O DEO é um documento que o Governo apresenta anualmente em abril, com as suas perspetivas para os anos seguintes, e este ano servirá para o Governo traçar a sua estratégia orçamental até 2018. Recorde-se que o documento terá de ser enviado à Assembleia da República e à União Europeia até dia 30 de abril, quarta-feira.

O documento deste ano deverá conter as medidas de consolidação orçamental para 2015, que totalizam cortes de 1.400 milhões de euros para o próximo ano, segundo já adiantou a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.