O líder da comissão europeia, José Manuel Durão Barroso, considera que Portugal ainda não saiu da crise, mas está próximo de o conseguir.

Barroso rejeita que a crise económica tenha terminado, principalmente, devido à elevada taxa de desemprego e a algumas situações de emergência social existentes no país.

«Penso que estamos agora a sair da crise. Não podemos dizer que já saímos. Enquanto houver níveis tão elevados de desemprego, claro que não saímos ainda da crise. Mas a economia começa a dar sinais de recuperação», disse o ex-primeiro-ministro.

«Por causa do ajustamento muito difícil que foi feito, em alguns casos agravaram-se as condições sociais, e temos situações no nosso país a que não hesito chamar de emergência social», continuou.

Durão Barroso falava à margem da entrega de uma verba de 45 mil euros, do prémio Carlos V, para a Associação Cais e para a Escola Secundária de Camões.

O presidente da comissão europeia foi distinguido no início do ano com o galardão e destinou os fundos para as duas organizações.

O dinheiro será usado para apoiar as obras de requalificação do liceu Camões, que o presidente do executivo comunitário frequentou na juventude.

Na associação cais, José Manuel Durão Barroso pretende incentivar o auxílio aos sem-abrigo.