O presidente da Comissão Europeia (CE), Durão Barroso, disse esta quinta-feira em Cantanhede, Coimbra, que o desemprego é a «principal praga» na economia europeia e assume «níveis inaceitáveis» em Portugal e noutros países europeus.

Discursando numa sessão na autarquia local, após ter recebido a medalha de ouro do município, Durão Barroso aludiu aos mais de 351 mil milhões de euros disponíveis, a nível global na União Europeia, no próximo quadro comunitário, para ajudar ao crescimento das economias e à promoção do emprego.

«Esta é a principal praga que temos hoje na economia europeia, o desemprego. E este desemprego, em Portugal e noutros países europeus, não em todos porque houve diferença de políticas, assume níveis inaceitáveis», afirmou Durão Barroso.

O presidente da CE frisou que a prioridade, esta quinta-feira, na Europa, e também em Portugal passa por «mobilizar todos os instrumentos possíveis para voltar a um crescimento sustentável».

«Não nos deixemos distrair em relação aos objetivos principais, crescimento e emprego», sustentou Durão Barroso, lembrando que Portugal e outros países, por causa dos «desequilíbrios acumulados» ao longo de muitos anos «não terão margem, sozinhos, para fazer investimento público» sem fundos europeus.

«O investimento público que vem da Europa é o essencial nos próximos anos. Se não for bem aplicado é uma oportunidade que é desperdiçada», avisou.

Segundo Durão Barroso, Portugal poderá receber cerca de 25 mil milhões de euros de fundos estruturais no próximo quadro 2014/2020 e, apesar de ter ressalvado que o acordo de parceria ainda está a ser negociado entre as autoridades portuguesas e a União Europeia, anunciou que o programa operacional para a Região Centro deverá ter uma dotação total de 2,7 mil milhões de euros «mais 600 milhões de euros do que no período anterior».

Definiu, a esse propósito o apoio dos fundos estruturais às regiões como «solidariedade europeia».

«Sei bem que por causa das dificuldades que o país tem vindo a conhecer, hoje em dia não se associa União Europeia a solidariedade, mas isso não é justo», argumentou.

O presidente da Comissão Europeia inaugura hoje em Cantanhede, no Biocant Park, o «UC Biotech», edifício da Universidade de Coimbra que reúne investigadores na área da biotecnologia.