O advogado de José Sócrates, João Araújo, afirmou esta segunda-feira, em declarações aos jornalistas à saída do Estabelecimento Prisional de Évora, que o ex-primeiro-ministro «estava razoavelmente divertido» após a decisão do Supremo Tribunal de Justiça que rejeitou o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa. 

«Ele estava razoavelmente divertido, mais do que eu. (...) Estava muito satisfeito pelos avanços que tivemos.»

João Araújo vai estar esta segunda-feira no Jornal das 8 da TVI.

Questionado pelos jornalistas sobre os «avanços» referidos, João Araújo recusou adiantar pormenores. No entanto, o advogado salientou que o Supremo «concordou» com a defesa no que diz respeito à «seriedade da impugnação da competência do Tribunal de Instrução Criminal».

«Hoje o Supremo Tribunal disse uma coisa que tem que ser lida com cuidado: relativamente à competência, que se estava a falar de uma matéria de enorme complexidade que não é linear e é uma questão que não pode ser decidida em habeas corpus.»


João Araújo teceu ainda duras críticas a Costa Andrade, um dos penalistas de renome que participou na revisão mais recente do Código Penal, e que afirmou não ter dúvidas no caso de José Sócrates, afirmando que o ex-chefe de Governo devia ser julgado como qualquer outro cidadão.

«Durante uma semana ouvimos comentadores num concurso de 'aparvalhamento geral'. (...) Ainda vamos falar das viagens de Costa Andrade.»


Esta terça-feira o tribunal da Relação via decidir sobre o recurso da prisão preventiva apresentado em dezembro. João Araújo referiu que é o próximo passo de uma «maratona».

«Os próximos passos são amanhã. Isto não é uma corrida de 50 metros, isto é uma maratona.»