O PS considerou esta quinta-feira que a redução de 280 postos de trabalho no Grupo PSA, em Mangualde, comprova que há um clima de instabilidade na economia portuguesa e que o investimento estrangeiro está a decair.

A posição foi assumida pelo vice-presidente da bancada socialista José Junqueiro, depois de o Centro de Produção de Mangualde do Grupo PSA - Peugeot Citroen ter anunciado a supressão do terceiro turno, a partir de 25 de julho, e a consequente redução de 280 postos de trabalho, devido a um ajustamento da atividade produtiva.

«Perante as afirmações do senhor ministro da Economia, Pires de Lima, e do senhor vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, o PS verifica que o clima para a economia portuguesa continua preocupante. O fim do contrato de 280 trabalhadores na PSA Citroen dá indicadores dessa instabilidade, apesar dos esforços da empresa», lamentou o dirigente socialista.

De acordo com José Junqueiro, em Portugal, «a verdade é que o investimento estrangeiro e o Produto Interno Bruto (PIB) têm vindo a cair».

«Ao contrário do que era expetável, este Governo apenas faz anúncios de mais impostos, nomeadamente sobre o IVA e a taxa social única (TSU) - e veremos o que acontecerá em breve. Há uma grande imprevisibilidade na economia portuguesa e uma grande imprevisibilidade na atuação do Governo, o que condiciona o investimento estrangeiro», apontou o vice-presidente da bancada do PS.