O coordenador do BE confirmou esta terça-feira que Joana Amaral Dias apresentou na semana passada a carta de demissão do partido, considerando João Semedo que se trata de um «episódio próprio da vida partidária» e que não fragiliza a campanha.

A notícia da demissão de Joana Amaral Dias dois dias antes de ter participado na Convenção Novo Rumo do PS foi avançada pelo «Público», tendo o coordenador do BE confirmado depois à agência Lusa que a agora ex-militante esteve «na semana passada» «na sede do Bloco e deixou a carta de demissão».

«A Joana há muitos anos que não tinha qualquer interação política no Bloco. Não estranhamos esta decisão, que tomou no momento em que achou mais oportuno», declarou.

Questionado sobre o eventual impacto na campanha em curso para as eleições europeias, João Semedo respondeu que não fragiliza a campanha que o BE, e que a candidatura «vai muito para além deste episódio, que é um episódio próprio da vida dos partidos».

«O BE está a fazer uma grande campanha e este foi um momento em que um militante decidiu pôr cobro à sua militância», afirmou.

Sobre o conteúdo da carta entregue por Joana Amaral dias, o coordenador do BE defendeu que «seria deselegante» revelá-lo.