[Notícia atualizada às 16h31]

O PS vai votar a favor da moção de censura que os «Verdes» vão apresentar ao Governo na quinta-feira.

A deputada do PEV Heloísa Apolónia anunciou, na sexta-feira, a apresentação durante esta próxima semana uma moção de censura ao Governo, «cuja maioria não representa mais a população portuguesa».

«Os Verdes apresentarão no início da próxima semana uma moção de censura ao Governo, cuja maioria não representa mais a população portuguesa», afirmou a deputada ecologista, durante o debate do «estado da Nação», no Parlamento.

Passos Coelho não se demite nem receia moções de censura: «Muito bem-vinda a moção de censura», disse a Heloísa Apolónia, acrescentando que o Governo tem o apoio de «uma maioria coesa».

O voto favorável dos socialistas na moção de censura surge numa altura em que o PSD, o PS e o CDS tentam encontrar um compromisso de salvação nacional, proposto pelo Presidente da República. No entanto, este sentido de voto poderá indiciar dificuldades em atingir um acordo.

O líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, anunciou este domingo na Guarda que os socialistas vão votar a favor da moção de censura anunciada pelo Partido Ecologista Os Verdes.

A moção de censura dos Verdes foi anunciada na sexta-feira e deverá ser apresentada na segunda-feira, de modo a ser discutida e votada na quinta-feira na Assembleia da República, e que já contava com o apoio anunciado de PCP e BE.

«O PS tem vindo, com toda a naturalidade, a censurar o funcionamento deste Governo que é um Governo esgotado e falhado. Apresentámos, aliás, há cerca de dois meses uma moção de censura e é por isso, com toda a normalidade, que nós vamos votar a favor da moção de censura apresentada pelos Verdes», declarou Carlos Zorrinho na Guarda, após ter inaugurado a sede de candidatura do socialista António Vaz, candidato à Câmara do Sabugal nas eleições autárquicas de 29 de setembro.

Segundo o líder parlamentar socialista, que em relação a esta decisão do PS "só Jerónimo de Sousa não tinha entendido, porque era uma posição por demais evidente". No sábado, o secretário-geral do PCP defendeu que a moção de censura dos Verdes iria «clarificar posições» e acabar com o «troca-tintismo» do PS.

«Mas os portugueses poderão perguntar como é que um partido pode censurar o Governo e, ao mesmo tempo, estar num processo de diálogo», observou o líder parlamentar do PS.

Na resposta, Carlos Zorrinho disse que o momento «é uma boa oportunidade para deixar bem claro que nós não estamos a negociar com o Governo», nas declarações recolhidas pela Lusa.

«O PS não está a negociar com o Governo, o PS está a dialogar com todos os partidos políticos. É um processo de diálogo com todos os partidos políticos que estiverem disponíveis para isso e, nesse processo de diálogo, nós defendemos aquilo que são as nossas causas, são também as causas daqueles que acreditam, votam e confiam nem nós», observou.

«Com os partidos [o diálogo] é completamente diferente da relação com o Governo. Este Governo é um Governo que nós consideramos que está esgotado e nesse sentido votamos a favor da moção de censura».