O CDS-PP vai apresentar uma proposta para um "crédito fiscal ao investimento", através de uma "dedução à coleta de IRC de 25% de despesas de investimento" que seja "reprodutivo", disse à Lusa o deputado Pedro Mota Soares.

"Em sede de Orçamento do Estado, o CDS vai propor uma dedução à coleta de IRC de 25% das despesas de investimento, com um limite de 75% da coleta de IRC", afirmou Mota Soares, que apresenta a medida esta terça-feira em conferência de imprensa, no Parlamento.

Sublinhando tratar-se de "ativos reprodutivos, ou seja, investimento que ajude as empresas a produzir mais", o dirigente e deputado centrista afirmou que, dentro desta definição, "carros para administração, por exemplo, não contam".

A medida destina-se a responder ao que o CDS considera "o maior problema da economia portuguesa: a falta de investimento".

"São precisas medidas para travar a sangria de investimento", argumentou.

O CDS-PP vai, até à apresentação do Orçamento do Estado para 2017, apresentar uma proposta por semana.

"Todas as semanas o Governo apresenta um imposto novo, o CDS quer todas as semanas presentar uma medida para a economia", afirmou o ex-ministro do anterior executivo PSD/CDS.