Notícia atualizada

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, cancelou esta quarta-feira a sua deslocação ao Brasil, prevista para entre 12 e 16 de junho, devido «ao novo quadro aberto» pelo acórdão proferido pelo Tribunal Constitucional e à necessidade de superar esta situação.

«O primeiro-ministro decidiu, tendo em conta o novo quadro aberto pelo acórdão proferido pelo Tribunal Constitucional e a necessidade de responder às exigências complexas de superação da situação, cancelar a sua programada visita ao Brasil, que decorreria de 12 a 16 de junho», refere uma nota enviada à Lusa pelo gabinete do chefe do Governo.

Da agenda da deslocação, que incluía visitas a São Paulo, Recife e Salvador da Baía, constavam contactos com a presidente do Brasil Dilma Rouseff, governadores dos três estados, empresários e dirigentes associativos portugueses.

«O primeiro-ministro não assistirá assim ao jogo inaugural da seleção portuguesa no Mundial de Futebol, a 16 de junho, fazendo-se representar pelo ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares» Marques Guedes, refere a mesma nota.

«O primeiro-ministro formula sinceros votos de maiores sucessos à nossa seleção, acreditando que a poderá vir ainda a abraçar e a felicitar numa fase ulterior desta competição», acrescenta o texto.

De acordo com o gabinete do primeiro-ministro, a parte do programa que estava prevista para São Paulo será cumprida pelo ministro da Economia, António Pires de Lima.

Portugal jogará o seu primeiro jogo no Mundial2014 com a Alemanha, a 16 de junho, em Salvador da Baía.

Na sexta-feira, o TC chumbou três normas do Orçamento do Estado para 2014, incluindo o corte dos salários dos funcionários públicos a partir dos 675 euros.