O dirigente socialista Marcos Perestrello defendeu que a secretária-geral em exercício do PS, Maria de Belém, deve marcar já a data das eleições diretas para a liderança, convocando para o próximo fim-de-semana a Comissão Nacional.

«A secretária-geral em exercício do PS tem poderes estatutários para marcar rapidamente a data do congresso extraordinário, antecedido de eleições diretas» para a liderança do partido, afirmou à agência Lusa o presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS.

De acordo com Marcos Perestrello, na sequência da demissão de António José Seguro do cargo de secretário-geral do PS, após ser derrotado nas eleições primárias por António Costa, «o partido vive uma situação de exceção e de urgência».

«Esta situação não se pode arrastar até ao Natal», declarou Marcos Perestrello, que também desempenha as funções de vice-presidente da bancada socialista.

Marcos Perestrello entende que é possível convocar «já para o próximo fim de semana uma reunião da Comissão Nacional do PS», o órgão máximo deste partido entre congressos.

Nessa reunião, segundo o líder da FAUL do PS, deve ser já possível aprovar a data e o regulamento do congresso extraordinário, antecedido pela realização de eleições diretas para o cargo de secretário-geral.