O deputado do CDS-PP João Rebelo confirmou este sábado que vai voltar à direção do partido e lastimou que um ex-líder, Manuel Monteiro, se comporte como um "treinador de bancada".

"Sim, houve esse convite", afirmou o parlamentar democrata-cristão, em declarações aos jornalistas à entrada para o 26.º Congresso centrista, que se inicia hoje em Gondomar, no distrito do Porto.

Referindo-se ao regresso à posição de dirigente nacional após dez anos de afastamento daquelas lides, "se assim os militantes entenderem", embora remetendo mais esclarecimentos para os discursos da candidata a presidente do partido Assunção Cristas, a qual terá em mente uma "nova organização e funcionamento do gabinete de estudos, comissão política nacional e comissão executiva".

O membro da bancada parlamentar centrista há seis legislaturas consecutivas e antigo secretário-geral do partido vaticinou um "congresso muito forte", com "participação confirmada de mais de 1.500 congressistas de todo o país e das ilhas" e, questionado sobre declarações do antigo presidente Manuel Monteiro, que anteviu o CDS-PP como uma "cópia menor" do PSD, instou-o a aparecer.

Já ouvi Manuel Monteiro com tantos prognósticos sobre o CDS ao longo destes 20 anos, desde que saiu de líder, depois, quando se desfiliou e fundou outro partido contra o nosso [Nova Democracia], e falhou. Desafio-o ao seguinte, se quiser participar intensamente na vida interna do partido, que regresse. Agora, não pode estar como treinador de bancada e estar-se a pronunciar", disse João Rebelo.

Segundo o deputado do CDS-PP, neste congresso do partido "vai ser tudo feito com muita tranquilidade e dedicação, um exemplo muito diferente do que se passou em alguns congressos, com um ambiente muito sinistro, quando ele [Monteiro] era presidente".