O PSD Madeira realiza no domingo a tradicional festa na herdade do Chão da Lagoa, nas serras do Funchal, que conta pela primeira vez com a presença do líder nacional do partido e de Miguel Albuquerque como presidente social-democrata madeirense, que foi sujeito a uma operação esta quarta-feira. 

Esta concentração popular do partido maioritário na Madeira, implementada pelo então líder regional ao longo de quase quatro décadas, Alberto João Jardim, aconteceu pela primeira vez a 18 de maio de 1975, no Chão dos Louros.

Nos anos seguintes teve como palco outros locais na ilha, como o Paul da Serra, a Fonte do Bispo, o Pico das Pedras, o Fanal e acabou por fixar-se, em 1993, no planalto do Chão da Lagoa, propriedade da Câmara Municipal do Funchal.

Desde julho de 2010 foi transferida para a herdade da Fundação Social Democrata no Chão da Lagoa, sendo tradição acontecer no último domingo de julho. Apenas em 2012, devido aos incêndios que fustigaram a ilha, e por determinação de Jardim, foi adiada para 09 de setembro.

Durante muitos anos, foram convidados dirigentes nacionais do partido para participar naquela que é considerada uma das maiores festas populares da Madeira, que, de acordo com a organização, nos últimos anos reuniu cerca de 40 mil pessoas.

Assim, no Chão da Lagoa estiveram figuras como Francisco Sá Carneiro, Marcelo Rebelo de Sousa, Durão Barroso, Marques Mendes, além de outros responsáveis sociais-democratas.

Em 2009, a então líder nacional do PSD, Manuela Ferreira Leite, chegou a confirmar a sua presença nesta festa, mas acabou por cancelar, segundo informações na altura, devido a uma gripe.

Devido às divergências de Jardim com os responsáveis nacionais, nas últimas festas tal não aconteceu e esta será a primeira vez que Pedro Passos Coelho, líder do partido e primeiro-ministro, marca presença no evento, prevendo-se a sua chegada ao local pelas 11:00, onde fará o percurso pelas barracas representativas dos concelhos da região, seguindo-se as intervenções políticas (13:00).

Estão previstos os discursos do líder da JSD-M, Rómulo Coelho, do presidente do PSD-M, Miguel Albuquerque, e o líder nacional do PSD, Pedro Passos Coelho.


Festa custa 100 mil euros

Esta não será a primeira vez que Miguel Albuquerque discursa no Chão da Lagoa, visto que, enquanto presidente da Câmara do Funchal, sempre ousou da palavra. A situação só se alterou em 2013, depois de ter entrado em rota de colisão com Alberto João Jardim, o que levou a comissão política do PSD-M a alterar o critério das intervenções.

O secretário-geral do PSD-M, Rui Abreu, informou, que o partido vai investir este ano cerca de 100 mil euros na organização do evento, o que representa metade do que foi gasto em 2014, um valor que inclui a renda de 25 mil euros para a Fundação Social Democrata.

O responsável mencionou que para a animação musical foram contratados de artistas e grupos madeirenses (mais de 25), que estão “integralmente vendidos 150 autocarros, que vão partir de todas as 54 freguesias da Madeira e o navio que assegura as ligações marítimas com o Porto Santo vai realizar uma viagem num horário que permita a presença de residentes naquela ilha no Chão da Lagoa.

No espaço estarão também montadas mais de uma centena de barracas com diversões e comes-e-bebes, acrescenta a Lusa.