PSD e CDS-PP assinalaram esta quinta-feira a forma como Governos liderados por partidos da «família» do Partido Popular Europeu (PPE) têm conseguido retirar esses países da situação de «pré-falência», depois do «descontrolo» dos executivos socialistas.

«Países como Portugal ou como a Espanha são bem exemplo daquilo que se passou nos últimos tempos na Europa, em que Governos socialistas de forma descontrolada não conseguiram controlar o défice, descontrolaram as contas públicas, desmantelaram a economia e que são depois partidos do PPE (...) que têm que equilibrar essas mesmas contas públicas», afirmou o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, em declarações aos jornalistas no final de um encontro entre responsáveis sociais-democratas e democratas-cristão com o presidente do PPE, Joseph Daul.

Por isso, acrescentou, a pergunta que se deve agora fazer é se se deve dar «dar confiança àqueles que nos trouxeram até aqui, que trouxeram ao resgate, que trouxeram a humilhação de estarmos a pedir dinheiro para pagar pensões e salários à função pública ou se iremos dar essa mesma confiança a quem está (...) com muito trabalho a tirar o país dessa mesma situação».

Antes, o vice-presidente do PSD Marco António Costa também já tinha assinalado essa questão, destacando a forma como os Governos de Portugal, Espanha e Irlanda «têm conseguido retirar da crise e da situação pré-falência a que esses Estados chegaram».

«É um complemento de alma relativamente à determinação com que o PPE enfrenta não só a crise que a Europa atravessou e atravessa, mas particularmente a visão de esperança que está associada ao trabalho que o PPE está a fazer na Europa», disse o vice-presidente social-democrata.