O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo considerou o dia de hoje «positivo e histórico» para Portugal com o anúncio da saída do programa de resgate financeiro sem recurso a um programa cautelar.

«O CDS entende que este resultado é mérito de Portugal e dos portugueses e salienta o papel das empresas e dos trabalhadores e da concertação social», disse Nuno Melo em Portalegre, à margem de uma ação de pré campanha da coligação PSD/CDS-PP para as eleições europeias.

Portugal vai sair do atual programa de resgate financeiro sem recorrer a qualquer programa cautelar, regressando autonomamente aos mercados, anunciou hoje o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

«Hoje, em Conselho de Ministros, o Governo decidiu que sairemos do programa de assistência sem recorrer a qualquer programa cautelar», afirmou Pedro Passos Coelho, numa declaração ao país, feita a partir da sua residência oficial, em São Bento, Lisboa, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros.

«Depois de uma profunda ponderação de todos os prós e contras, concluímos que esta é a escolha certa na altura certa. É a escolha que defende mais eficazmente os interesses de Portugal e dos portugueses e que melhor corresponde às suas justas expectativas», acrescentou o chefe do executivo PSD/CDS-PP.