A vice-presidente do CDS-PP Assunção Cristas afirmou na sexta-feira que os centristas querem "fechar um bom programa" com o PSD e não "fazer algo de muito rápido", escusando-se a avançar uma data para a apresentação do programa eleitoral.
 

"A nossa preocupação é fechar um bom programa em conjunto, não estamos propriamente preocupados em fazer algo de muito rápido, estamos preocupados em fazer bem, dentro do tempo que for necessário para isso."


A ministra falava aos jornalistas enquanto ainda decorria o Conselho Nacional do CDS-PP, na sede do partido, em Lisboa, ao mesmo tempo que o PSD também reúne o seu órgão máximo entre congressos, num hotel da capital.
 

"Depois desta reunião, de validar estas linhas, de ouvir a sensibilidade dos conselheiros, concluiremos o diálogo, que tem sido diário, com o PSD, para fecharmos o programa mas não temos nenhuma data prevista nem isso é prioritário. Prioritário é poder fazer estas auscultações, refleti-las no programa conjunto."


Assunção Cristas nem se comprometeu com a realização de novo Conselho Nacional no dia 30 deste mês para aprovar as listas de candidatos à Assembleia da República, como o PSD já anunciou que fará a 30 de julho, mas sendo as listas conjuntas dificilmente não haverá coincidência.

Quanto à ideia avançada pelo PSD de que os presidentes de Câmara e nomeados para altos cargos públicos deverão ficar fora das listas, Assunção Cristas disse que um ponto equivalente não foi discutido pelo CDS-PP, que detém a presidência de cinco autarquias.

De acordo com Assunção Cristas, os conselheiros nacionais discutiram as linhas orientadoras do programa, que já foram publicamente apresentadas, existindo "um novo documento que expande um pouco" o primeiro.