O Presidente da República desejou esta terça-feira ao seu sucessor "os maiores sucessos" no exercício do seu mandato, reiterando que tem uma "profunda gratidão" para com todos os portugueses "sem exceção", mesmo os que não o apoiaram.

Sinto (…) o dever de transmitir um agradecimento muito especial a todos os Portugueses. Aos que em mim votaram e aos que não me apoiaram. A todos, sem exceção, estou profundamente grato. De todos guardo boas recordações, por todos tenho um sentimento de profunda gratidão", afirma o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, que cessa na quarta-feira funções como Presidente da República, depois de dez anos em Belém.

Numa mensagem que foi esta manhã divulgada no site da Presidência da República, Cavaco Silva deseja ainda ao seu sucessor no cargo, Marcelo Rebelo de Sousa, "os maiores sucessos".

Sublinhando que a mensagem que dirige aos portugueses um dia antes de deixar a Presidência da República é, sobretudo, "uma mensagem pessoal", Cavaco Silva reitera que "foi um privilégio" poder servi-los na chefia do Estado, tal como já antes tinha acontecido quando foi primeiro-ministro, entre 1985 e 1995.

Procurei retribuir a Portugal o muito que o meu país me deu ao longo de uma vida"

Na mensagem, o chefe de Estado volta ainda a considerar que servir o país na Presidência da República foi uma honra, concedida duas vezes, primeiro em 2006 e depois em 2011.

Durante dez anos, procurei corresponder à confiança que em mim depositaram, agindo com sentido de responsabilidade e independência, trabalhando com rigor, seriedade e determinação na defesa do superior interesse nacional"

Lembrando os sete "roteiros" que realizou ao longo dos seus dois mandatos, o Presidente da República diz ter sido "um privilégio" contactar diretamente com milhares de portugueses e percorrer o país nas jornadas que levou a cabo para a inclusão social, a ciência, o património histórico-cultural, a juventude, as comunidades locais inovadoras, a floresta, as pescas e a economia dinâmica.

Marcelo Rebelo de Sousa toma posse como Presidente da República na quarta-feira de manhã, na Assembleia da República.