O Presidente da República defendeu esta quinta-feira, na Roménia, que as reformas estruturais em Portugal "estão no caminho certo" e que as instituições internacionais reconhecem-no. É o segundo e último dia da visita de Estado ao país. 

No Fórum Empresarial Roménia-Portugal, que começou esta manhã em Bucareste, Cavaco Silva também fez questão de sublinhar a transparência com que, disse, o Governo tem agido.

"As instituições internacionais reconhecem que as reformas estruturais estão no caminho certo e que as autoridades portuguesas têm demonstrado grande transparência e comprometimento no processo"


Repetindo parte do discurso que tinha proferio em Sófia, na Bulgária, onde esteve segunda e terça-feira, Cavaco Silva aludiu à flexibilização da legislação laboral e aos incentivos para melhorar a inovação e a competitividade empresarial, como exemplos. 

O chefe de Estado voltou ainda a lembrar os  resultados que têm sido alcançados na economia portuguesa:  défice controlado,  desemprego a baixar, investimento a crescer. 

Como já tinha feito na Bulgária, também na Roménia o Presidente da República apresentou Portugal como um país com uma "economia aberta", que tem  excelentes infraestruturas, condições naturais privilegiadas e recursos humanos altamente qualificados.

"Somos um país acolhedor e seguro, com uma extensa e bonita costa e também paisagens fascinantes". A  "excelente gastronomia e vinhos" foram outros dos pontos destacados.

O Presidente incentivou os empresários das duas nacionalidades a aumentarem as trocas comercial, isto apesar de já existir uma forte presença de empresários portugueses com negócios na Roménia.  Mais de 100 empresas estão estabelecidas no país. 

Esta visita de Estado ficou marcada pela ausência do primeiro-ministro romeno, indicado por um processo de corrupção e não se encontra no país, alegadamente por motivos de saúde. Victor Ponta cancelou o encontro com Cavaco Silva que, questionado pelos jornalistas não se mostrou "perturbado", uma vez que a restante agenda se manteve.