O Presidente da República termina esta terça-feira uma visita de Estado de dois dias à Bulgária, dar novo fôlego às relações económicas ainda "muito aquém das potencialidades existentes". Esta ideia foi já deixada pelo chefe de Estado português no primeiro dia da visita à capital búlgara e deverá voltar a ser defendida perante empresários das duas nacionalidades no Fórum Empresarial que terá lugar pela manhã, em Sófia.

O objetivo do encontro já foi traçado por Cavaco Silva na segunda-feira à noite, num jantar com o seu homólogo búlgaro, Rosen Plevneliev: "identificar e promover novas oportunidades de negócio e investimento entre empresários portugueses e búlgaros".

Ontem mesmo, o chefe de Estado deu conta que os empresários portugueses manifestam "grande interesse em conhecer melhor oportunidades de negócios" na Bulgária. Elencou mesmo os setores mais apetecíveis:  turismo, energias renováveis, transportes, aplicação das tecnologias digitais, administração pública, "uma área onde portugal regista progressos muito assinaláveis"

Os representantes de mais de 20 empresas portuguesas que acompanham Cavaco Silva vêm, de resto, de setores como a construção, moldes, consultadoria, energias renováveis, vinhos e azeite, entre outros.

Segundo fonte da Presidência da República, que é citada pela Lusa, Portugal e a Bulgária são parceiros de negócios de longa data, mas as trocas comerciais são ainda muito reduzidas. Para se ter uma ideia da ordem de grandeza, o défice na balança comercial, com as exportações atingiu 66 milhões de euros e as importações 110 milhões no ano passado.

No primeiro dia da visita de Estado, e depois de se ter reunido com o homólogo búlgaro, o Presidente enfatizou um dos pontos mais fortes desse encontro: a preocupação com o desemprego na União Europeia, tendo, por isso, feito um apelo à UE para apresentar uma "solução muito clara" para o problema. A criação de uma união energética a nível europeu e o problema da imigração também foram destacados.

Por outro lado, e numa altura em que as negociações entre a Grécia e os credores estão a chegar a um ponto insustentável - o impasse dura há cinco meses -, Cavaco Silva avisou Atenas que tem de "convencer-se" que não pode haver "exceções" na UE, desejando que haja acordo ainda esta semana.

 

Agenda para o resto do dia


Do Fórum Empresarial, a comitiva presidencial partirá para a Assembleia Nacional, onde Cavaco Silva se irá encontrar com a presidente daquele órgão, seguindo depois para a sede do Conselho de Ministros, onde se reunirá com o primeiro-ministro búlgaro, Boyko Borisov.

Tal como aconteceu no primeiro dia da visita, a tarde voltará a ser dedicada à cultura, com uma visita à Universidade de Sófia, onde o chefe de Estado irá agraciar personalidades búlgaras, seguindo-se depois um concerto de fado de Ana Moura.

Ao início da noite, a comitiva presidencial partirá do aeroporto de Sófia com destino a Bucareste, a capital da Roménia, país que o Presidente da República visitará na quarta e na quinta-feira.