O Presidente da República, Cavaco Silva, distinguiu esta quinta-feira a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva como membro da Ordem do Infante D. Henrique, e defendeu que, através da instituição, Portugal tem sabido honrar a memória da artista plástica.

"Através da Fundação, Portugal tem sabido honrar a memória daquela que é, porventura, a maior e a mais conhecida internacionalmente dos artistas plásticos portugueses do século XX", afirmou Cavaco Silva.

O chefe de Estado visitou hoje a fundação que reúne a obra de Maria Helena Vieira da Silva e do seu marido, Arpad Szenes, no âmbito das comemorações dos 25 anos da fundação e dos 20 anos do museu com o mesmo nome.

"Acompanhei de perto, enquanto primeiro-ministro, o processo de instituição da fundação, em 1990, a concretização do sonho de Maria Helena Vieira da Silva, e, cinco anos depois, a inauguração deste museu", lembrou.

Cavaco Silva afirmou que "os portugueses estão decerto gratos à pintora por ela ter escolhido o seu país e a sua cidade natal para deixar o seu arquivo e instalar o principal espaço dedicado ao estudo e à divulgação da sua obra".

"Passados 25 anos, a fundação tem razões para estar orgulhosa pelo trabalho que desenvolveu para realizar e manter vivo o sonho da pintora", declarou.

O Presidente sublinhou o "empenho" e o "trabalho" do presidente da fundação, António Gomes de Pinho, e enalteceu "o número e a qualidade das iniciativas organizadas".

"Os cursos para jovens, as residências para pintores e a colaboração com outros museus, nacionais e estrangeiros, são a prova de que a fundação soube integrar-se e interagir com a comunidade, dando a conhecer não só as obras de Arpad e de Vieira da Silva, mas também as de artistas que com eles conviveram", salientou.

O Presidente inaugurou na sua visita a exposição "A linha do espaço - Vieira da Silva, Arpad Szenes e os seus contemporâneos", organizada em colaboração com a Galerie Jaeger Bucher / Jeanne-Bucher, de Paris, pioneira na divulgação dos principais artistas abstratos da década de 1950, e que representa o trabalho de Maria Helena Vieira da Silva desde 1933.

Esta é a terceira exposição do programa que assinala os vinte anos do Museu da Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, depois das exposições "Fundação Arpad Szenes Vieira da Silva - 20 Anos" e "Sonnabend, Paris - New York".