O Presidente da República assinala esta segunda-feira o terceiro ano do seu mandato com uma jornada do Roteiro para a Inclusão, dedicada ao desemprego, nos concelhos de Barcelos, Braga e Porto, para «apelar à força solidária dos portugueses», escreve a Lusa.

«É chegada a altura de, mais uma vez, o Presidente apelar à força solidária dos Portugueses. A grave crise económica e financeira por que passamos aumentou os riscos de pobreza e de exclusão social», lê-se numa nota da Presidência da República.

Cavaco considera «injusto» se Durão não for reeleito

Assim, o programa da quinta jornada do Roteiro para a Inclusão começará com um encontro do Presidente da República com uma delegação de trabalhadores e dirigentes sindicais com maior representatividade na Região do Vale do Cávado e onde se localizam algumas das empresas industriais com maiores dificuldades.

Contudo, e porque «não obstante o quadro de dificuldades, há empresas que conseguem contrariar e superar as adversidades», o chefe de Estado vai uma vez mais mostrar um "caso de sucesso": a SILSA, uma empresa têxtil do Vale do Cávado que exporta a totalidade da sua produção e continua a crescer.

Depois de visitar esta unidade, Cavaco Silva irá aproveitar para se reunir com uma delegação de empresários do sector dos têxteis, vestuário e calçado.

Banco Alimentar Contra a Fome

Ainda durante a manhã, o chefe de Estado irá visitar as instalações do Banco Alimentar Contra a Fome de Braga, criado no ano passado, reunindo-se de seguida com algumas das equipas de voluntários «para ouvir os testemunhos da sua actividade e das situações de carência alimentar com que se deparam».

À tarde, Cavaco Silva irá para o Porto, começando por visitar a Obra Diocesana de Promoção Social e a unidade que serve os Bairros da Pasteleira, especialmente as valências dedicadas às crianças.

A encerrar a quinta jornada do Roteiro para a Inclusão, o Presidente da República irá deslocar-se à AMI - Assistência Médica Internacional, que criou há vários anos os centros Porta Amiga.

No caso do Porto, a acção da AMI tem vindo a alargar-se aos diferentes sectores da população que se debatem com carência alimentar, pobreza e exclusão social.

O Presidente lançou a iniciativa do Roteiro para a Inclusão em Maio de 2006, um mês depois do seu primeiro discurso do 25 de Abril no Parlamento, que dedicou ao combate à exclusão social. Em Abril de 2007, o chefe de Estado organizou ainda a conferência «Compromisso Cívico para a Inclusão», para fazer um primeiro balanço da sua iniciativa do Roteiro pela Inclusão, que já o levou a 20 concelhos do país.