A porta-voz do BE, Catarina Martins, reiterou hoje disponibilidade para conversar sobre uma solução de Governo de esquerda que salve Portugal, bastando para isso que PS abandone a redução da TSU, congelamento das pensões e facilitação dos despedimentos.

"Reitero hoje o que disse ainda antes da campanha eleitoral a António Costa. O Bloco de Esquerda cá está disponível para conversar sobre uma solução de Governo que salve Portugal bastando para isso que o PS aceite abandonar três ideias, que a nosso ver contrariam a possibilidade de mudança de ciclo", disse Catarina Martins após reunião da comissão política do BE, sendo as três linhas vermelhas a redução da Taxa Social Única (TSU) descapitalizando a Segurança Social, a redução das pensões por via do congelamento e a facilitação dos despedimentos.

A porta-voz do BE espera que "toda a gente esteja à altura da responsabilidade", apelando diretamente ao PS e garantiu ter a certeza que a CDU "também estará presente e não faltará à chamada", recordando que "os partidos que tiveram três milhões de eleitores, que têm hoje mais de 50% dos deputados na Assembleia da República, fizeram a sua campanha prometendo uma rutura com o ciclo da direita".


Catarina Martins criticou ainda aquilo que considerou fazer parte das "decisões apressadas do Presidente da República", que terça-feira vai já ouvir o líder da coligação PSD/CDS-PP, Pedro Passos Coelho, considerando que "manda o respeito institucional que o Presidente da República não tomasse estas ações antes de estarem contados os votos dos emigrantes".