O Bloco de Esquerda defendeu esta sexta-feira que a campanha em defesa da adoção por casais homossexuais, na qual é usada a imagem de Jesus Cristo, não "teve qualquer caráter ofensivo", tendo sido usado o humor para dar visibilidade ao tema.

O BE lançou hoje uma campanha sobre a adoção por casais do mesmo sexo, que foi recentemente confirmada no parlamento depois do veto do Presidente da República, da qual faz parte um cartaz com a palavra "Igualdade" e um suporte que está a circular na internet e nas redes sociais com a imagem de Jesus Cristo e se lê "Jesus também tinha 2 pais" e que já mereceu duras críticas da Conferência Episcopal e do CDS.

Em declarações aos jornalistas no Campo Pequeno, em Lisboa, a deputada do BE Sandra Cunha explicou que a "imagem que está a circular na internet não é uma palavra da ordem da autoria do BE, mas sim do movimento internacional pelo direito à igualdade e foi aproveitada para, com recurso ao humor, se conseguir chegar à discussão na sociedade".

Não se pretende de nenhuma forma ofender nem teve qualquer caráter ofensivo. O BE respeita e tem o maior respeito por todas as convicções religiosas e estamos certos que temos uma grande maioria de crentes e de não crentes que estarão connosco por estas famílias e por esta diversidade", sublinha.

A deputada bloquista recusa a ideia de que a utilização desta imagem seja uma "afronta", afirmando que "não foi esse o objetivo, nem é essa a mensagem, mas pelo contrário".

Conhecemos uma enorme maioria de crentes que estiveram connosco nestas lutas, que estiveram envolvidas desde o início. Tenho a certeza que eles continuam deste lado e continuam a apoiar esta visibilidade para estas famílias e para as crianças", adiantou.

Sobre se considerava que esta campanha tinha sido um "tiro no pé", Sandra Cunha rejeitou também esta ideia, uma vez que esta é "uma forma de se debater o assunto, de trazer a discussão à sociedade, de trazer visibilidade e de consagrar na sociedade, na discussão quotidiana este direito".

Não tememos que esta polémica retire o foco. As famílias têm agora este direito consagrado na lei, é importante que se desconstruam preconceitos, que se traga visibilidade a estas famílias. Penso que é isso que está a conseguir com a campanha do BE", insistiu.

O Bloco de Esquerda já tinha emitido esta manhã um comunicado em que esclarecia a imagem com a figura de Jesus Cristo não se tratava de um cartaz, mas de uma forma de chamar à atenção para a “conquista da igualdade entre todas as famílias” nas redes sociais.

A imagem gerou controvérsia e muitas críticas na Internet.

O porta-voz da Conferência Episcopal, Manuel Barbosa, considerou hoje de manhã "uma afronta aos crentes" o uso de uma imagem de Jesus Cristo numa campanha do Bloco de Esquerda em defesa da adoção por casais homossexuais.

Já o CDS reagiu ao início da tarde, tendo o deputado Pedro Mota Soares representando uma "ofensa gratuita à sensibilidade de muitos portugueses".

O único cartaz que será colocado nas ruas tem apenas a palavra “Igualdade” e já foi fixado no Campo Pequeno.

Fonte: Facebook