Os cartazes do PS para as eleições legislativas de setembro surpreenderam muitos dos eleitores este verão. As imagens coloridas foram alvo de algumas críticas assim que começaram a surgir nas ruas do país, mas o último cartaz que chegou às cidades no mês de julho foi a “gota de água”. As redes sociais não perdoaram e as imagens humorísticas (memes) começaram a surgir. A campanha publicitária da responsabilidade de Edson Athaíde ficou debaixo de fogo e as críticas dentro do PS não tardaram. A campanha vai retirar o cartaz polémico das ruas, alegando que "já cumpriu a sua função".



A decisão da campanha, avançada esta terça-feira pelo jornal i, de tirar os cartazes da rua em breve estava, segundo uma fonte socialista, citada pelo Expresso, já prevista. "Todas as campanhas obedecem a um planeamento. Saem quando estiver previsto saírem”, disse. Também o diretor de campanha, Ascenso Simões, citado pelo Económico, diz que a polémica "não alterou rigorosamente nada no planeamento".

Apesar da polémica, os socialistas terão decidido manter o homem responsável pela campanha de António Guterres à frente da campanha publicidade para as legislativas de 2015..

No sábado, o Diário de Notícias já avançava que o publicitário podia estar de saída, depois de numa reunião do partido, na última quarta-feira, a última imagem a chegar às ruas ter sido duramente criticada e de Pedro Nuno Santos ter, alegadamente, exigido a retirada imediata das ruas.

Ao jornal i, fonte da campanha diz, no entanto, que o cartaz “já está a cumprir a sua função”.

“A função do cartaz está cumprida. Introduzir uma linguagem de ruptura com comunicação política corrente para marcar a viragem de página e reforçar a associação de confiança a António Costa e ao PS”, disse a fonte, defendendo ainda que as reações ao cartaz indicam que resultou. “Como diria Edson, falem mal ou bem o que importa é que falem. Resultou. Bateu recordes de comentários nas redes. Agora terá a evolução normal como previsto”, disse.


As críticas nas redes sociais chegaram a comparar os cartazes com publicidade da Igreja Universal do Reino de Deus. Entre os memes criados estão alguns que mostram António José Seguro a espreitar no cartaz.

José Sócrates…



…e até uma pregação do líder socialista.

Publicamente não foram muitos os socialistas a manifestar o desagrado, mas António Galamba, um “segurista”, foi um dos que deu a cara pelas críticas, depois de ter ficado fora das listas para as legislativas e depois de ter visto a notícia do último sábado.
 

Há muita coisa na vida( e na política) que não se anuncia, faz-se. Os cartazes têm estado muito aquém do exigível, têm...

Posted by António Galamba on  Sábado, 1 de Agosto de 2015


Também o deputado do CDS-PP, Michael Seufert abordou o tema no Twitter.

Tal como o conhecido músico português João Gil.

Alvo de críticas está também uma outra imagem de António Costa com voluntários de campanha que surge ao lado de vários jovens a consumir bebidas alcoólicas.
 

Da série: "De quem a malta gosta!" #Costa2015 #TheMan :)

Posted by Voluntários António Costa on  Quinta-feira, 30 de Julho de 2015

Já em Maio  a ministra das Finanças tinha feito uma alusão a um cartaz socialista que salientava o rigor socialista.
 

Por fim, no Twitter há quem sintetize assim a polémica com os cartazes socialistas.