O candidato presidencial Cândido Ferreira considerou hoje que os resultados das candidaturas independentes ficaram "muito aquém das expectativas", devido à "demasiada partidarização da vida política".

Cândido Ferreira escolheu um restaurante em Leiria para acompanhar os resultados eleitorais acompanhado de amigos e familiares.

Numa declaração oficial, o candidato endereçou as primeiras palavras a quem "tornou possível" a sua candidatura, que "confiam" e "reconhecem capacidade para protagonizar causas ainda meio adormecidas".

Em seguida, felicitou Marcelo Rebelo de Sousa, "que acabou de ser eleito Presidente da República Portuguesa", ao qual desejou "as maiores felicidades, até para bem do país, que precisa de muita felicidade e estabilidade".
 

Cândido Ferreira acrescentou que, "ao contrário do que seria de esperar, os partidos políticos que poderiam funcionar como cerne da democracia, persistem em afunilar o próprio sistema democrático, tudo fazendo para calar as vozes discordantes".


"Em resposta os portugueses tenderão a rever-se em iniciativas políticas independentes e em movimentos cívicos ou na abstenção, estando aberta uma enorme autoestrada para novas formações", acrescentou, salientando que foi esta a mensagem que pretendeu transmitir.

"Talvez o tenha feito demasiado cedo e, de certeza, em condições de tremenda desigualdade. Basta somar os tempos atribuídos na campanha eleitoral, em que o debate se resumiu ao faz de conta e em que a pobreza de propostas foi redutora", afirmou ainda Cândido Ferreira.

Segundo o candidato, nesta campanha eleitoral "existiu uma clara intenção de silenciar os temas de fundo introduzida por alguns candidatos que não pertencem ao sistema, reduzindo alguns deles e denegrindo as suas imagens perante a opinião pública".

Confessando que "nunca" pediu votos na rua, Cândido Ferreira acredita que atingiu "razoavelmente alguns objetivos propostos", exemplificando com a "instituição do fórum de cidadania, que sem qualquer aumento de despesa pública funcionaria como Conselho de Estado Social".

O candidato afirmou ainda que "valeu a pena ter recolhido tantas e tão significativas adesões" à sua proposta de criação de um Conselho de Estado Social.
 

"Estou persuadido que valeu a pena ter sido o único candidato que com coragem trouxe para a praça temas impopulares ou polémicos evitados pelos demais. Valeu mesmo a pena. Só é mesmo vencido quem deixa de acreditar em causas e em valores que são de toda a humanidade", salientou.


Quando estavam apurados mais de 90 por cento dos votos, cerca das 21:10, Cândido Ferreira aparecia como o candidato menos votado.