A candidatura presidencial de Maria de Belém Roseira anunciou hoje que, devido à morte do histórico socialista Almeida Santos, não participará no debate televisivo desta noite na RTP com os restantes nove candidatos às eleições do próximo dia 24.

O anúncio chegou pouco depois da candidata ter informado que cancelava todas as ações de campanha até ao funeral do histórico socialista. 

Maria de Belém marcou uma conferência de imprensa para as 12:00 desta terça-feira, na sede da sua candidatura, em Lisboa. 

Os dez candidatos presidenciais vão estar esta terça-feira, pela primeira e única vez, num debate televisivo de duas horas e meia, a última oportunidade para todos se confrontarem e responderem a novas questões.

Na última semana de campanha, o debate, na RTP, fecha um ciclo de mais de 20 debates que começaram no início do mês e que decorreram antes do início oficial da campanha, durante os quais se falou essencialmente do caso Banif e do consequente orçamento retificativo, das razões que levariam um Presidente a demitir o Governo e da independência dos candidatos.

O ex-presidente da Assembleia da República e do PS morreu na segunda-feira em sua casa, em Oeiras, com 89 anos, pouco antes da meia-noite, depois de se ter sentido mal após o jantar, disse fonte da família à agência Lusa.

Além do debate desta noite, Maria de Belém Roseira deveria visitar esta manhã a loja do cidadão de Odivelas e participar em Lisboa num almoço da CCP/UACS - Confederação do Comércio e Serviços de Portugal / União de Associações do Comércio e Serviços. Para tarde, a candidata tinha previstas reuniões com a Associação Portuguesa das Famílias Numerosas e responsáveis dos colégios privados.

Ainda de  madrugada, a ex-presidente do PS e candidata presidencial reagia à morte do histórico do PS, dizendo que o "mundo não fica igual quando pessoas como António Almeida Santos morrem", enaltecendo a sabedoria e inteligência do "amigo".