"Tivemos na Justiça dos anos mais negros que há em Portugal. Foram reduzidos em mais de mil o número de funcionários nos tribunais, todo o investimento foi cortado. Não há forma da Justiça responder às necessidades de uma sociedade moderna e democrática."