A deputada do Bloco de Esquerda (BE) na comissão de inquérito ao Banif, Mariana Mortágua, requereu hoje informações sobre empresas "envolvidas na avaliação dos ativos da Oitante”, sociedade-veículo que ficou com ativos do banco.

O requerimento foi hoje apresentado ao presidente da comissão de inquérito, o deputado comunista António Filipe, e surge no dia em que foi anunciada a contratação de Maria Luís Albuquerque pelo grupo britânico Arrow Global, que tem em Portugal clientes como o Banif, Millennium BCP ou Montepio.

Falando em Coimbra, a porta-voz do Bloco, Catarina Martins, deixou já a indicação que "há muitas perguntas que têm de ser respondidas" na comissão de inquérito ao Banif em torno da contratação da antiga ministra do executivo PSD/CDS-PP pela Arrow Global.

O BE quer agora ter acesso à listagem das empresas ou fundos que, "ainda que ao serviço do comprador, "avaliaram ou compraram carteiras de crédito, total ou parcialmente, desde o início da ajuda pública ao Banif.

Maria Luís Albuquerque afirmou já que a contratação não tem "nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal" com atuais ou anteriores funções políticas.

A ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque foi nomeada para diretora não executiva do Arrow Global, grupo britânico de gestão de crédito, com efeitos a 07 de março.

Segundo uma apresentação a investidores do verão em 2015, publicada na página do grupo na Internet, a Arrow Global gere em Portugal uma carteira de crédito de 5,5 mil milhões de euros, tendo entre os clientes os bancos Banif, Millennium BCP, Montepio, Santander, Banco Popular, entre outros.