A nova vaga de emigração portuguesa, nomeadamente a de jovens qualificados, é o principal tema das ações do Bloco de Esquerda esta segunda-feira. Catarina Martins desloca-se a Paris para encontrar-se com alguns destes emigrantes e com as associações que os defendem. O principal, mas não o único ponto forte da agenda: o caso BES, e particularmente os lesados emigrantes, é outro dos destaques.
 
O Bloco diz que o fenómeno da emigração é um “legado deste Governo”. E para sinalizar o problema, decidiu arrancar a campanha oficial na capital francesa, junto de quem teve de abandonar o país.
 
Durante a manhã, a porta-voz do partido vai reunir-se com associações de defesa dos direitos dos emigrantes portugueses e com a Santa Casa da Misericórdia da cidade.
 
Depois, há um almoço com os emigrantes portugueses. Emigrantes que trabalham não só em França, como também na Alemanha, no Luxemburgo e na Suíça. Este encontro vai contar com a presença de Mariana Mortágua e da cabeça de lista pelo círculo da Europa, Cristina Semblano.
 
O Bloco quer falar sobre as condições que levaram estas pessoas a sair de Portugal e conhecer “as suas expectativas pessoais e para o país”.
 
O partido, de resto, apresentou o “Manifesto da Emigração” no sábado, também em Paris, numa conferência com Pedro Filipe Soares e Cristina Semblano .

No documento, o BE defende várias medidas para fazer face ao problema da emigração: a "abertura de novos postos consulares", "a concessão de meios adequados aos funcionários consulares"; a "reposição dos horários suprimidos" e a abolição da propina de acesso aos cursos de português; o apoio ao sector associativo e a reposição das emissões da RDP Internacional na onda curta; "que devem ser dadas facilidades ao envio das remessas dos emigrantes, bonificadas as taxas de juro dos seus empréstimos e isentos de impostos os rendimentos da colocação a prazo das suas poupanças".

O caso BES, que tem captado um grande envolvimento dos dirigentes do partido, é outro dos pontos fortes deste primeiro dia de campanha oficial.

Uma iniciativa em frente ao Novo Banco, em Paris, vai contar com a participação da porta-voz, Catarina Martins, e daquela que foi considerada a estrela da Comissão de Inquérito ao BES, Mariana Mortágua.