O Bloco de Esquerda acusa o Governo de populismo e de preconceito ideológico na insistência em manter o IVA na restauração em 23%, e diz que esta medida vai continuar a ser o pesadelo dos pequenos comerciantes e da economia.

"O IVA da restauração é o fantasma do Natal passado do CDS que volta para o assombrar este Natal, é também o pesadelo dos pequenos comerciantes e da economia deste país. É também a prova do preconceito ideológico do PSD e do CDS-PP», afirmou a deputada Mariana Mortágua.

A bloquista criticou as acusações do Governo e da maioria à oposição, de serem populistas por apresentarem propostas de mudança no IVA da restauração, sem o que entendem ser a compensação devida, e acusou o Executivo e os partidos que o suportam de populismo.

«Populismo, senhores deputados, é fazer uma campanha inteira a dizer que não iam subir impostos, e depois subir todos os impostos. Populismo, senhores deputados, é fazer uma campanha inteira a dizer que vão cortar nas gorduras e depois cortarem nos salários dos funcionários públicos. Populismo, senhores deputados, é fazer uma campanha inteira a dizer que defendem os pensionistas, e depois cortarem em todas as pensões. (...) 2200 milhões de euros [de cortes] em salários, 150 milhões às empresas. É esta a medida da vossa justiç», afirmou Mariana Mortágua.

O BE acusa o Governo de continuar a prejudicar o que entendem ser um dos setores mais importantes do país e de tentar esconder os efeitos das medidas, defendendo que a descida do IVA na restauração não só é uma medida justa, como promove o crescimento económico e a criação de emprego.