A porta-voz do Bloco de Esquerda (BE) considerou esta quarta-feira que o ataque numa discoteca gay em Orlando, nos Estados Unidos, que matou 49 pessoas, "foi um ato homofóbico", alertando que "a homofobia mata em todo o mundo e portanto deve ser denunciada".

Depois do debate quinzenal desta quarta-feira, Catarina Martins arregaçou as mangas e, na sede do BE, participou na pintura de materiais do partido para a marcha LGBT, que decorre no sábado em Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, a porta-voz do BE enfatizou que a marcha deste ano "ganha um caráter especial por uma razão bem mais triste, bem mais preocupante, que tem a ver com o atentado em Orlando contra a comunidade LGBT".

"Fala-se muito em ato terrorista, é preciso ser claro: foi um ato homofóbico, de violência tremenda homofóbica", lamentou.

De acordo com Catarina Martins, "por todo o mundo a homofobia continua a matar e Orlando é um caso desses".

"Se a marcha deste ano era uma celebração por tudo o que conseguimos em Portugal, achamos no Bloco que esta marcha também tem que ser de denúncia da homofobia e de dizermos claramente, sem margem para dúvidas, o que é que se passa: a homofobia matou em Orlando, a homofobia mata em todo o mundo e portanto deve ser denunciada", condenou.

Para a deputada bloquista, a marcha LGBT deste ano é também especial porque "era um momento de comemoração" já que, "com a atual maioria, foi possível acabar com todas as leis que tinham na lei uma discriminação pela orientação sexual e portanto Portugal é hoje um país mais decente".

"Claro que nós sabemos que não basta apenas mudar as leis, há um longo caminho a percorrer pela igualdade de todos e de todas, mas é verdade que este é um ano que Portugal deve comemorar e nós pensamos a marcha assim", justificou.

A porta-voz do BE pegou em dois cartazes em branco e escreveu, pela sua própria mão as frases "homofobia mata" e "iguais na vida", pintando depois as letras, uma a uma.

Na sede do Bloco juntaram-se várias pessoas que, ao final da tarde de hoje, produziram todos os materiais com os quais o partido vai participar na marcha de sábado, com uma faixa principal onde se pode ler "igualdade na lei e na sociedade".

Na madrugada de domingo, um homem armado simpatizante do grupo extremista Estado Islâmico matou 49 pessoas e feriu 53 numa discoteca gay de Orlando, na Florida.