O ex-presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, recusou o convite feito pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, para liderar o novo Banco de Fomento. A informação é avançada pelo «Jornal de Notícias» esta sexta-feira.

O ex-autarca terá ficado surpreendido com o convite e pediu uns dias para pensar. Nem o fato da sede do Banco de Fomento ser no Porto e os nomes «de peso» escolhidos para a comissão instaladora da instituição terem dito «sim», levou Rui Rio a aceitar o convite.

De acordo com o JN, o Ex-presidente da Câmara do Porto recolheu opiniões junto de amigos e conselheiros para ponderar os prós e os contras e acabou por declinar o convite. Quase todas as pessoas que ouviu o aconselharam a recusar o lugar por dois motivos: corria o risco de ser visto como mais um a aceitar «um tacho» e ficaria com a sua margem de manobra política muito reduzida.

Rui Rio é visto por muitos como um possível sucessor de Pedro Passos Coelho na liderança do PSD, além disso, tem sido uma voz bastante crítica em relação a este Governo, ao qual ficaria ligado após aceitar o convite.