Os socialistas António Costa e Manuel Pizarro anunciaram esta segunda-feira, no Porto, que estão a unir esforços para captar fundos comunitários e criticaram o atual Governo pelo atraso na preparação do próximo Quadro Comunitário de Apoio de 2014-2020.

À margem de uma cimeira das duas equipas das candidaturas socialistas às câmaras do Porto e Lisboa, o cabeça-de-lista à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, revelou a intenção de reforçar a cooperação entre as duas cidades para se encontrar «caminhos e soluções comuns» que permitam a captação e utilização dos fundos comunitários, visando implementar políticas de crescimento, viradas para a economia local e criação de emprego.

O crescimento inteligente baseado na inovação e conhecimento, o crescimento sustentado assente na promoção da eficiência energética e ambiental e o crescimento inclusivo para esbater as desigualdades são as três prioridades enumeradas hoje pelos dois candidatos do PS.

Manuel Pizarro observou é «muito importante» combater o atraso do país na preparação do próximo quadro comunitário.

«Será trágico para o país que, em função da incompetência e inércia da atual maioria PSD/CDS-PP, o país não esteja em condições de, a partir de janeiro de 2014, utilizar integralmente os fundos do próximo quadro comunitário», afirmou.

Os fundos comunitários são «urgentemente necessários» para relançar a economia, promover o emprego e combater a dramática situação social de «tantos» portugueses, acrescentou.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, salientou, por seu turno, que, «mais que rivalidades e divergências», é necessário acentuar as complementaridades entre as duas cidades.

As prioridades para o próximo Quadro Comunitário de Apoio devem assentar na reabilitação e regeneração urbana, para favorecer a eficiência energética e a mobilidade sustentável, e na cooperação com o tecido universitário para aproveitar a geração mais qualificada do país.

«O Porto e Lisboa devem trabalhar em conjunto para articular e mobilizar o motor económico e a região da fachada atlântica», frisou o presidente da Câmara de Lisboa.

As duas cidades, avançou, têm um papel «muito particular» a desempenhar na recuperação económica do país.

O próximo Quadro Comunitário de Apoio irá disponibilizar cerca de 960 milhões de euros, dedicados à implementação da Estratégia Europa 2020, que tem como eixo fundamental o crescimento e as políticas urbanas, como refere a Lusa.

Além de Manuel Pizarro, concorrem às próximas eleições no Porto a CDU (Pedro Carvalho), Bloco de Esquerda (José Soeiro), PSD (Luís Filipe Menezes),Partido Trabalhista (José Manuel Pereira da Costa) e os independentes Rui Moreira (apoiado pelo CDS-PP) e Nuno Cardoso.

Em Lisboa, além António Costa, atual presidente, concorrem à autarquia João Ferreira (CDU), João Semedo (Bloco de Esquerda), Nuno Correia da Silva (PPM/PND/PPV) Joana Miranda (PCTP/MRPP).