O cabeça de lista do PS às eleições europeias disse hoje que o ato eleitoral de 25 de maio será a ocasião de os portugueses dizerem «não» ao Governo e anteciparem uma vitória socialista nas legislativas de 2015.

«Estas eleições europeias são das mais importantes que se realizaram no nosso país porque este é o primeiro momento em que um país inteiro se pode erguer democraticamente através do seu voto e pode dizer ¿não¿ porque nós não queremos ir por esse caminho de destruição de conquistas civilizacionais fundamentais que são património de toda a sociedade portuguesa», disse o candidato socialista num jantar/comício no Mercado dos Lavradores, no Funchal, numa alusão à «destruição» do Estado Social.

Francisco Assis salientou que a vitória do PS a 25 de maio será «a antecipação de uma outra vitória, a vitória que vamos obter nas eleições legislativas e que vai levar a que o PS retome funções de responsabilidade governativa em Portugal».

O candidato considerou ainda que as eleições de 25 de maio são «de uma importância crucial para o futuro da Europa».

«Se no dia 25 de maio, à noite, tivermos uma nova maioria no Parlamento Europeu, se depois tivermos um novo presidente na Comissão Europeia, Martin Schulz, só isso vai originar um novo discurso, uma nova linguagem, uma nova abordagem, uma nova agenda política para o espaço europeu», vincou.

Acusou ainda o Governo da República de ter abdicado de defender os interesses dos portugueses: «nós temos um Governo que preferiu seguir, acriticamente, a liderança conservadora alemã em lugar de se bater pela defesa dos interesses dos portugueses e em particular os setores mais favorecidos da sociedade portuguesa».

O jantar/comício teve ainda a participação do presidente do PS-Madeira, Vítor Freitas, e da candidata pela Madeira ao Parlamento Europeu, Liliana Rodrigues, que apelaram ao voto no PS e saudaram a comemoração, pela primeira vez, do 25 de Abril em sete municípios da Madeira: «valeu a pena esperar 40 anos», disseram.