Mais de um terço dos deputados que compõem a nova Assembleia da República fazem a sua estreia no parlamento esta sexta-feira, na primeira sessão da legislatura, ao lado de 104 parlamentares que transitam da anterior sessão legislativa.

Dos 230 mandatos que compõem o plenário da Assembleia da República, 81 cadeiras serão distribuídas por deputados estreantes, nos quais se insere André Silva, a representar o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), de acordo com os resultados definitivos das eleições legislativas.

Entre os 35% de lugares ocupados por caras novas contam-se maioritariamente socialistas. Porfírio Silva, Eurico Brilhante Dias, Mário Centeno, Graça Fonseca e Alexandre Quintanilha são alguns dos que integram o grupo dos estreantes, no qual se insere também o presidente do Partido Socialista e antigo deputado à Assembleia Regional dos Açores, Carlos César.

A bancada parlamentar do Bloco de Esquerda, aquela que mais vai crescer nesta legislatura, de oito para 19 deputados, vai acolher pela primeira vez Joana Mortágua, Domicilia da Costa e Jorge Manuel Falcato, entre outros.

Em relação à última composição do parlamento, são 104 os deputados que se mantêm em funções na XIII legislatura, que tem início na sexta-feira, dia 23 de outubro, o que representa 45% dos lugares.

Os restantes 45 mandatos foram atribuídos a deputados que já passaram pela Assembleia em anteriores sessões legislativas, como é o caso do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, do vice-primeiro-ministro Paulo Portas e de alguns ministros e secretários de Estado.

A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, ou o ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, são alguns destes casos.

Também a secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional, Berta Cabral, o secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro, ou o secretário de Estado da Administração Interna, João Pinho de Almeida, foram de novo eleitos deputados à Assembleia da República.

A Assembleia da República que resultou das eleições de 04 de outubro reúne-se na sexta-feira e elege o presidente, competindo ao PSD a sugestão de um deputado que interinamente dirija os trabalhos até essa eleição se concretizar.

A primeira sessão do novo parlamento tem de ser marcada, de acordo com a Constituição, para três depois após a publicação dos resultados eleitorais.