O secretário-geral do PS escusou-se neste sábado a comentar as declarações de Mário Soares sobre a forma como anunciou a rutura das negociações para a «salvação nacional» realçando apenas a «imensa ternura» que tem pelo fundador do Partido Socialista.

«Tenho uma imensa ternura e um imenso carinho pelo doutor Mário Soares. Ligam-me a ele relações de grande amizade. Não farei nenhum comentário», disse António José Seguro, como cita a agência Lusa.

O líder socialista falava aos jornalistas em Viana do Castelo, à margem da apresentação do candidato do partido à Câmara local, e atual autarca, José Maria Costa.

Em entrevista ao jornal «i», publicada hoje, Soares criticou Seguro ao considerar que foi brando o discurso em que anunciou a rutura das negociações para um compromisso de «salvação nacional».

Soares assumiu na entrevista desilusão com a forma como Seguro geriu a crise política dos últimos dias e a negociação para um acordo de 'salvação nacional', com o PSD e o CDS-PP.

Confrontado pelos jornalistas, várias vezes, com estas críticas, António José Seguro assumiu apenas o «grande respeito» que tem por Mário Soares, mas sem responder às acusações levantadas pelo antigo Presidente da República e histórico líder socialista.