Os faróis nos máximos iluminam a 100 metros de distância. A mesma que separava as arruadas de PS e PAF no arranque da descida de Santa Catarina, no Porto. Cem metros dá para estar cara a cara. A PAF começou primeiro, com  muita garra, e os socialistas acabaram por assistir ao filme sem pipocas, E com um grande intervalo de espera para arrancar,já passava das 18:30. A rua encheu, mas não entupiu. E respirava-se alguma tensão, numa terra tão descontraída. 
 
Não foi só na "bolha" que cercava Costa com figuras do partido, jornalistas e fotógrafos, cada vez mais cerrada, e nos atropelos. Afinal, os adversários políticos estavam ali tão perto na véspera de terminar a campanha eleitoral. 

​E entre o povo, também dois lados da barricada. Já a arruada PAF ia bem lá em baixo e os apoiantes socialistas ainda foram inquietados com um autocarro a céu aberto e aquele agitar de bandeiras laranjas e azuis. Vaias e indignação, já se imagina. Mas sem grande fulgor. 

Que não foi suficiente para contagiar quem assistia a um concerto da Banda Móvel, na praça da Batalha, não fosse hoje o Dia Mundial da Música.

 
Indiferentes à arruada, concerto da Banda Móvel. Hoje é Dia Mundial da Música  #eleicoestvi24  #costa2015  pic.twitter.com/K5PcHHXGlt
— Vanessa Cruz (@vanessasoucruz)  1 outubro 2015

Os bombos da coligação soaram antes disso, a alto e bom som. A arruada do PS apanhou a banda. Tentou não perder o embalo e prosseguiu.
 
Arruada de Santa Catarina: "Ó minha querida, fui enganadinha"  #costa2015  #eleicoestvi24  pic.twitter.com/p9fhHQcdGj
— Vanessa Cruz (@vanessasoucruz)  1 outubro 2015


Deolinda Pimentel, 70 anos, 47 de trabalho. Votou na coligação em 2011. Agora está com o PS. Queixa-se do aumento da ADSE, do IRS, da sobretaxa. Quer acreditar em Costa. Se ele falhar, muda outra vez. 

 
Ainda no Porto. "Se ele me enganar, para a próxima mudo"  #eleicoestvi24  #costa2015  pic.twitter.com/HRwy8YVLAg
— Vanessa Cruz (@vanessasoucruz)  1 outubro 2015

Os reformados e pensionistas são, de resto, quem acorre mais às arruadas. Um socialista "já velho e cansado" lamentou o PS "não ter jovens", pedindo renovação geracional no partido. Com a crença que isso passará a ter reflexo nas ruas. 

Saindo da carapaça, conversas aqui e ali. Esperança com nervosismo. A PAF tinha passado por ali mesmo há pouco, com uma  força que dava azo a comparações. Como as sondagens.

Vários indecisos à portas das lojas e cafés.

"Se quer que lhe diga isto está...Não sei... A coligação acho que ganha".  "

"Este traiu o Seguro".

"A arruada da PAF tinha mais gente, a do PC ontem foi muito lightzinha. É como no futebol. Os grandes é que é".


António Costa também pediu uma vitória em grande, insistindo no recado ao Presidente da República, Cavaco Silva.  
"Com maioria absoluta para que ninguém queira sibverter a vontade popular e que ninguém tenha dúvidas da vontade popular. Para que seja o PS a governar. É preciso que todos e cada um dos votos se somem para dar a vitória". 
E no campeonato da beleza? Discutia-se à porta de uma loja quem era o líder mais bem parecido entre aqueles que hoje desceram Santa Catarina. Sondagem com amostra muito reduzida, mas não é a voz do povo que conta?

Três mulheres também dão empate técnico ou perto disso: uma diz que "é o Costa", outra o Portas - "tem boa figura", outra nenhum dos dois. "Prefiro gente honesta, até pode ser feia. São todos feios. São todos aldrabões".