Em Buenos Aires, o primeiro-ministro defendeu ser este o momento "decisivo" para as empresas portuguesas apostarem no mercado argentino, alegando que se perspetiva para breve um acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul.

Para facilitar a ligação, António Costa lembrou que Portugal reconheceu a independência argentina logo no primeiro minuto, quando esse país se libertou da colonização espanhola.

Não é possível sermos amigos mais antigos, porque Portugal foi o primeiro país a reconhecer a independência da Argentina [a 9 de julho de 1816]. Por isso, somos amigos desde o primeiro minuto da existência da Argentina", declarou Costa, após ter estado reunido com o chefe de Estado da Argentina, Maurício Macri.

No encontro com Macri, o primeiro-ministro português ofereceu-lhe uma fotografia que ambos tiraram em 2012 no "Rock in Rio", em Lisboa, em que os dois surgem em palco a simular estarem a tocar guitarra elétrica.

Na altura António Costa era presidente da Câmara de Lisboa e Maurício Macri presidente da capital federal argentina, Buenos Aires.

União Europeia e o Mercosul

Na declaração conjunta com o Presidente argentino, em que não houve direito a perguntas por parte dos jornalistas, o primeiro-ministro apresentou Portugal e a Argentina como dois países cujas economias se encontram em processo de viragem.

Estamos num momento muito importante de mudança económica na Argentina e em Portugal. Um momento em que as negociações entre a União Europeia e o Mercosul têm um objetivo de conclusão ambicioso até ao final deste ano", começou por referir António Costa.

Depois, o primeiro-ministro deixou um apelo ao setor empresarial, sobretudo dirigido ao português, advertindo que "este é o momento para se trabalhar já".

Quem começa a trabalhar primeiro chega primeiro e tem melhores resultados numa ampla zona de futuro comércio livre entre Europa e Mercosul. Este é um momento em que é decisivo podermos trabalhar juntos para tirarmos o máximo partido possível das oportunidades de investimento na Argentina", sublinhou.

Ligações aéreas diretas

No final da reunião, apenas foi estabelecido um acordo de livre circulação que incide sobre programas de férias e trabalho para jovens de ambos os países.

O Presidente da República argentino congratulou-se com "esta intensificação das relações ao nível cultural".

Esperamos que também, a prazo, haja ligações aéreas diretas entre Portugal e a Argentina", declarou Maurício Macri, numa alusão à intenção da empresa Aerolineas Argentinas começar a fazer uma ligação direta entre Buenos Aires e Lisboa.

O Presidente da República da Argentina, Maurício Macri, lamentou hoje que as relações económicas e políticas com Portugal não se encontrem ao mesmo nível dos "profundos" laços históricos e de "afeto" entre portugueses e argentinos.

Dado que estamos unidos pelo afeto e pela História, queremos agora aprofundar as nossas relações [económicas], que não estão ao nível do nosso afeto. Coincidimos, eu o primeiro-ministro português, que o multilateralismo e a cooperação são as ferramentas essenciais para enfrentarmos a globalização", declarou Maurício Macri perante os jornalistas no final de uma reunião de uma hora com António Costa na sede do governo argentino, na Casa Rosada.