O candidato presidencial Henrique Neto disse esta quarta-feira que indigitaria o socialista António Costa para formar governo, mas defendeu que o Presidente da República deve pedir aos partidos da esquerda "algumas garantias" quanto a uma solução estável para o futuro.

"Nas circunstâncias atuais teria que pedir aos partidos da nova coligação, ou do novo acordo, algumas garantias de estabilidade relativamente ao futuro", afirmou o antigo deputado socialista, em Lisboa, após um encontro com o partido Nós, Cidadãos!.

Segundo o candidato à Presidência de República, a leitura dos acordos estabelecidos entre PS, Bloco de Esquerda, PCP e "Os Verdes", deixam "algumas preocupações", por não darem sinais "convincentes" de que estão afastadas as permanentes lutas políticas.

"Eu preferiria que [os acordos] fossem feitos numa sala ampla, com todos juntos e que acabasse com um abraço fraterno entre todos os líderes, com o objetivo nacional de se entenderem durante os próximos quatro anos, através de um projeto político claro, um projeto de reformas que o país precisa", salientou Henrique Neto, lamentando a assinatura em separado dos acordos entre os quatro partidos.

O Presidente da República deve ter garantias de que "o governo do dr. António Costa tem todas as condições para governar bem, que é isso que o país precisa", e que tenha "um projeto claro e uma estratégia clara para o desenvolvimento e o crescimento da economia do país", apontou o candidato.

Para Henrique Neto, a opção por um governo de gestão liderado por Passos Coelho ou a formação de um executivo de iniciativa presidencial não se deve colocar, a menos que verificasse "que os partidos que agora formaram este acordo não estariam interessados em resolver o problema".

"Acho que os Presidentes da República, quer o atual, quer os anteriores, nunca se envolveram pessoalmente em conseguir que o país tivesse uma estratégia clara, um projeto claro de progresso e desenvolvimento", criticou o antigo empresário.

Apesar de considerar que as eleições "são o processo correto de resolver grandes divisões", Henrique Neto defendeu que, "no caso em apreço, se os partidos se entenderem, se convencerem o atual Presidente da República de que têm um projeto e uma estratégia para o país", deve ser formado um novo governo.

O presidente do Nós, Cidadãos!, Mendo Castro Henriques, explicou que o encontro serviu para conhecer a candidatura de Henrique Neto, e que embora o partido aposte na liberdade de voto do seu eleitorado, admitiu existirem pontos de "convergência" em termos de cidadania com as propostas do ex-deputado socialista.

Henrique Neto, 79 anos, ex-deputado do PS, foi o primeiro a anunciar a candidatura à Presidência da República, a 25 de março deste ano.

O antigo empresário, crítico dos governos socialistas de José Sócrates, subscreveu o manifesto "Por uma democracia de qualidade", entregue a Cavaco Silva, que pedia uma reforma do sistema eleitoral.