O primeiro-ministro, António Costa, disse esta sexta-feira que um Estado moderno é aquele que abre serviços que permitem poupança em burocracia para "poder investir, onde é preciso investir", apontando que o Simplex vai ser "relançado com grande força".

António Costa inaugurou hoje a Loja do Cidadão de Valongo, que fica localizada em Ermesinde, sendo esta, referiu, a segunda de 14 que serão inauguradas ainda este ano.

O governante considerou como "um dos pilares fundamentais" do Programa Nacional de Reformas "a modernização do Estado", para vincar que o "Estado hoje tem de saber modernizar-se para saber prestar melhores serviços".

Na cerimónia, António Costa recebeu das mãos do presidente da câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, uma lousa - em alusão ao facto de neste concelho existir um setor económico ligado à extração da ardósia - objeto apelidado pelo autarca de "Ipedra".

Em seguida, o primeiro-ministro sublinhou que, para explicar a modernização como prioridade, "não basta passar do ‘Ipedra' para o ‘Ipad'".

A melhor forma para um Estado moderno não é fechar os serviços que são necessários. É abrir os serviços que nos permitem poupar na burocracia para podermos investir, onde é preciso investir. E há várias áreas onde o Estado tem de investir", disse, enumerando a Educação, a Segurança, a qualidade dos serviços de Saúde e a qualidade dos serviços de Proximidade.

O governante afirmou que o Simplex vai ser "relançado com grande força" no dia 20 e, partindo da convicção de que "todos os dias é possível descobrir menos um formulário que é necessário ter, menos um gesto que é necessário praticar", aconselhou as câmaras a reduzirem a sua burocracia, mas admitiu que estas nem sempre têm culpa.

Sei bem que grande parte da burocracia que as câmaras são obrigadas a solicitar aos cidadãos é burocracia que o legislador criou. Ainda não deixei de ser presidente de câmara há tempo suficiente para me esquecer dessa reunião", disse.

Numa cerimónia em que também participaram outros membros do Governo, entre os quais a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, bem como autarcas nortenhos e representantes de várias instituições, o presidente da Câmara de Valongo reivindicou obras nas escolas deste concelho.

Aliás, à entrada para a sessão, António Costa foi recebido por algumas dezenas de alunos da Secundária de Ermesinde que pediram a requalificação da sua escola e entregaram ao primeiro-ministro uma petição com 2.000 assinaturas.

Se calhar somos o concelho que mais contribuiu para a Educação do país e do mundo [devido à extração da ardósia utilizadas nos antigos quadros de lousa nas escolas] mas vivemos uma injustiça. Aqui a Parque Escolar não investiu um euro e as nossas escolas não estão em condições", disse José Manuel Ribeiro, referindo-se quer à Secundária de Ermesinde, quer à de Valongo e incluindo na reivindicação as EB 2-3.

Quanto à Loja do Cidadão hoje inaugurada, trata-se de um equipamento instalado num edifício existente na freguesia e que tinha custado quatro milhões de euros mas estava desaproveitado.

Estão instalados balcões do Instituto da Segurança Social, Instituto dos Registos e do Notariado, Autoridade Tributária, bem como serviços da autarquia, nomeadamente um Gabinete de Apoio ao Munícipe e os serviços da empresa de águas.

A esta loja somam-se seis Espaços do Cidadão que estão a nascer nas freguesias deste concelho do distrito do Porto.