Mais de 100 enfermeiros e professores aguardaram o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, à saída de um comício na Maia, tendo o responsável político falado com alguns manifestantes.

Costa chegou à Maia esta noite, interveio num comício do PS de apoio a Francisco Vieira de Carvalho, o candidato local às autárquicas, e abandonou depois o pavilhão desportivo onde decorreu a sessão ao som de gritos de "justiça" da parte de manifestantes do setor da educação e da enfermagem.

O chefe do Governo ainda recebeu uma carta aberta dos professores e chegou à fala com alguns responsáveis: "O Ministério da Educação tem estado a falar convosco", disse num momento, testemunhado pela agência Lusa, mas posteriormente um coro de protestos fez-se ouvir e sobrepôs-se ao diálogo entre Costa e uma manifestante.

No que refere aos professores, está em causa a colocação destes profissionais, ao passo que os enfermeiros têm vindo a lutar pela revisão das suas carreiras e por um aumento salarial.

Num atípico momento de tensão da campanha eleitoral, António Costa falou com alguns responsáveis antes de entrar no carro e sair da Maia, mas o diálogo foi regularmente abafado pelos protestos dos manifestantes.

As autoridades montaram um cordão de segurança e impediram uma maior proximidade dos presentes com o chefe do Governo, que remeteu melhores diálogos para conversas nos gabinetes do Executivo.

 

“Passo a passo” Portugal tem vindo a recuperar esperança e confiança 

Na Maia, António Costa valorizou o trabalho desenvolvido no Governo nos últimos dois anos, sublinhando que "passo a passo" o país tem vindo a "recuperar a esperança e a confiança".

Felizmente, vivemos no país desde há dois anos uma lufada de ar fresco, um novo tempo em que as pessoas puderam recuperar a tranquilidade no seu dia-a-dia, as empresas puderam recuperar a confiança e a previsibilidade sobre o seu futuro, e passo a passo o país foi recuperando a esperança e confiança", advogou o chefe dos socialistas e líder do Governo.

"Estamos a meio do caminho, quando a Maia inicia um novo caminho", sublinhou o secretário-geral do PS, pedindo o "dois em um" no concelho: um novo autarca local na Maia e um reforço da "força da mudança" do PS iniciada há dois anos no país.

E concretizou: "E esse 'dois em um' é muito importante. Todos nós sabemos que a governação se faz a vários níveis. Um Governo para ter mais força para levar para a frente a sua estratégia de desenvolvimento precisa de reforçar os meios e competências das freguesias e dos municípios, porque juntos faremos mais e melhor".

Também esta noite, mas no Marco de Canavezes, Costa havia já apelado ao voto no PS no domingo para "dar força à mudança" que permitiu uma "lufada de ar fresco" no país, referindo-se ao executivo socialista apoiado parlamentarmente à esquerda.

Foi possível restituir às famílias, empresários, juventude, a esperança e confiança de que havia um futuro possível no nosso país e melhor para todas as portuguesas e portugueses", sublinhou na ocasião.

Durante "muitos anos", a Câmara do Marco "foi acumulando dívidas e ficando numa situação difícil", e António Costa pediu às centenas de militantes e simpatizantes do PS um voto de confiança na candidata local, Cristina Vieira, para também ela "trazer uma lufada de ar fresco" ao município.