António Costa acusou o Governo PSD/CDS-PP de "examinar para eliminar" no que toca à educação. Durante o debate entre o secretário-geral socialista e o primeiro-ministro, Passos assinalou, por seu lado, a normalidade com que tem decorrido o arranque do novo ano letivo, em comparação com o ano passado, e o trabalho do Governo ao longo dos últimos quatro anos.

O líder socialista considera que a escola pública está agora "menos inclusiva" e apontou os números que estão na base do seu argumento.

"Temos menos alunos no ensino de música (menos 65%), menos no Inglês no terceiro e quarto anos (88%) no apoio ao estudo de (81%)."


Costa acrescentou que a ideia do Governo PSD/CDS-PP é "examinar para eliminar".

Por sua vez, o líder da coligação "Portugal à Frente", reforçou a ideia de que o arranque do ano letivo está a decorrer com "normalidade" e que isso dá "tranquilidade" aos portugueses. O primeiro-ministro gabou-se do trabalho feito pelo Executivo na educação, ao longo da governação.

"Houve necessidade de harmonizar o financiamento para o ensino artístico. Havia regiões que recebiam mais e outras recebiam menos. No ensino especial tentamos corresponder a uma maior oferta por parte do Estado e colocar a Segurança Social a fiscalizar qualquer abuso que pudesse ocorrer. Conseguimos vincular cerca de quatro mil professores."

 
E deixou algumas ideias para o futuro, nomeadamente ao nível da autonomia das escolas: "é importante reforçar a escola pública, temos procurado que ela melhore em capacidade de autonomia. Passamos de um número baixo de contratos de autonomia para um maior e espero que ainda aumente."