No Interior, é preocupação recorrente. Carregal do Sal não é exceção, ainda para mais com o IP3 de caminho a tornar-se autoestrada com portagens. António Costa visitou uma fábrica de têxteis naquela localidade e o assunto foi abordado pelo proprietário. 

 "É consensual e unânime que é preciso rever as portagens", afirmou o líder do PS, depois de, na Covilhã, também ter admitido eliminar portagens em algumas zonas. 

Costa enviou ainda um recado para Passos Coelho, que na semana passada também se mostrou a favor de uma "discriminação positiva" para o Interior.  

"O primeiro-ministro já veio agora dizer que também, afinal, também concorda que regressemos ao anterior regime de portagens"

O líder do PS vai utilizando verbos diferentes para se referir ao tema. Rever e eliminar não são necessariamente a mesma coisa. Perante os pedidos dos autarcas e empresários do Interior, Costa quis deixar acesa a luz ao fundo do túnel de que virá aí um alívio, quiçá acabar mesmo com elas. Com algumas.  

Na Covilhã, por exemplo, o socialista Vítor Pereira prometeu, pelo menos, um alívio nas taxas na A23: "Temos de deixar de castigar tão fortemente as nossas empresas e cidadãos. É uma via estruturante, existe para facilitar a fluidez da nossa economia." Disse que o próximo governo, se for socialista, irá certamente concluir o IC6 e beneficiar a linha férrea entre a Covilhã e a Guarda. A pressão está feita.