A lista para a bancada socialista, liderada por Ferro Rodrigues, integra quatro vice-presidentes que apoiaram o líder demissionário António José Seguro, o ex-ministro Vieira da Silva e cinco mulheres. O novo líder parlamentar está confiante que a sua direção de bancada traduz «qualidade» e «diversidade» e, numa nota de unidade, disse contar com «todos» os deputados socialistas. Está certo da «vontade e disponibilidade para a construção de uma alternativa política que só o PS pode liderar».

João Paulo Correia, Jorge Fão, Mota Andrade e Pita Ameixa sãos os quatro vice-presidentes escolhidos por Ferro Rodrigues que foram apoiantes de António José Seguro nas eleições primárias socialistas.

Entre as novidades está o nome do ex-ministro da Economia e da Segurança Social Vieira da Silva, que já esteve ao lado de Ferro Rodrigues na direção do PS, quando o futuro presidente da bancada socialista desempenhou as funções de secretário-geral entre 2002 e 2004.

A lista para a direção da bancada do PS, que será votada na sexta-feira pelos deputados socialistas, integra nas vice-presidências Ana Catarina Mendes, Hortense Martins, Inês Medeiros, Isabel Santos, e Sónia Fertuzinhos.

Ferro Rodrigues escolheu Pedro Nuno Santos e Marcos Perestrello, que continuam nas funções de vice-presidentes do Grupo Parlamentar do PS.

Para o Conselho Fiscal do Grupo Parlamentar do PS, Ferro Rodrigues propôs a deputada Odete João, tendo como vogais Agostinho Santa e Renato Sampaio.

O candidato socialista a primeiro-ministro, António Costa, já tinha feito saber que ia integrar membros da linha do secretário-geral cessante, António José Seguro, nas listas para as comissões Política e Nacional do PS e na bancada parlamentar.

Esta solução política foi avançada à agência Lusa por fonte do autarca de Lisboa e surgiu na sequência de uma reunião realizada na quarta-feira ao final da tarde entre António Costa e o membro da direção cessante Álvaro Beleza.

«Tal como na direção do Grupo Parlamentar do PS, também na Comissão Política e na Comissão Nacional será respeitado o peso dos seguristas», salientou a mesma fonte ligada a António Costa.

Por sua vez, Álvaro Beleza fez a seguinte declaração à agência Lusa: «Sarar feridas é a minha profissão há 30 anos. É preciso fortalecer o PS», afirmou o médico socialista.

Na reunião entre o presidente da Câmara de Lisboa e Álvaro Beleza ficaram ainda estabelecidos alguns princípios orientadores ao nível programático.

Assim, dentro em breve haverá uma reunião entre representantes do documento de António Costa, «Agenda para a Década», com membros do Laboratório de Ideias e Propostas para Portugal (LIPP) e da Convenção Novo Rumo, visando identificar pontos programáticos em comum.

A partir desses pontos programáticos comuns, será apresentada uma moção de estratégia ao próximo congresso nacional do PS.


Notícia atualizada