O primeiro-ministro, António Costa, mostrou satisfação com os dados da execução orçamental divulgados pela Direção-Geral de Orçamento (DGO), esta segunda-feira.

Portugal está a conseguir alcançar de uma forma confortável o seu objetivo orçamental", disse António Costa, sustentando que os dados "confirmam a tranquilidade com que o Governo tem encarado a execução orçamental deste ano".

Pelos números divulgados, o défice das Administrações Públicas atingiu 3.990 milhões de euros até agosto deste ano. São menos 81 milhões de euros do que o registado no mesmo período de 2015.

Para António Costa está à vista que o executivo atingirá as suas metas de défice "virando a página da austeridade".

"Vamos cumprir"

Sobre o ano de 2017, o primeiro-ministro remeteu perspetivas sobre a meta do défice para o Orçamento do Estado, que será entregue a 14 de outubro. Mas vincou uma vez mais que Portugal concluirá 2016 com um défice abaixo dos 2,5% fixados pela Comissão Europeia.

Vamos cumprir", asseverou.

Os dados revelados esta segunda-feira receberam, entretanto, reações díspares dos partidos políticos. Enquanto PSD e CDS consideram que o investimento está esquecido para mascarar as contas, o PCP acha que a execução orçamental está dentro do previsto, mas que é necessário renegociar os juros da dívida portuguesa.