"Temos de reanimar, chamá-los de novo e alargar o leque de simpatizantes", disse.




Segurança Social sustentável só com criação de mais empregos



"É possível um novo modelo de desenvolvimento que não assente na redução dos custos de trabalho, mas que aposte antes na inovação e que reponha no centro das políticas públicas a educação, a formação profissional e a ciência. Essa é a alternativa do PS", advogou o líder socialista, antes de defender a urgência da adoção de medidas para "relançar" a economia portuguesa.


"Sei que esta medida preocupa muitas pessoas e essas têm boas razões para isso, mas a única forma de tornar sustentável a Segurança Social é criando mais empregos", sustentou, alegando que nos últimos anos, com "a destruição" de postos de trabalho e com a emigração, o sistema terá perdido cerca de oito mil milhões de euros.


"A única forma de travar a sangria da Segurança Social é apostar na criação de emprego e para apostarmos na criação de emprego é preciso reanimar a procura interna. Por sua vez, para reanimar a procura interna é preciso desafogar as famílias, aumentando-lhes o rendimento disponível", defendeu o líder socialista.


"A precarização das relações de trabalho é hoje dramática para a segurança e para a confiança dos trabalhadores", afirmou, fazendo a defesa da medida socialista que propõe a limitação da celebração de contratos a prazo.