O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou hoje que este é o tempo da Justiça, questionado sobre a prisão preventiva do ex-primeiro-ministro José Sócrates, sublinhando que os valores essenciais do Partido Socialista não serão afetados.

«Nada disto penaliza e afeta as firmes convicções do PS quanto aos valores que são essenciais num Estado de direito democrático. A confiança nas instituições, a independência da justiça, a presunção da inocência, a prioridade ao combate à corrupção e a defesa da transparência são valores que não estão nem nunca estarão afetados na vida do Partido Socialista», afirmou António Costa, numa declaração aos jornalistas, à margem da Assembleia Municipal de Lisboa.

O ex-primeiro-ministro José Sócrates foi detido na sexta-feira à noite, no aeroporto de Lisboa, quando regressava de Paris. Na segunda-feira à noite, o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) decretou a prisão preventiva de José Sócrates, do seu motorista, João Perna, e do empresário Carlos Santos Silva por suspeitas de crime económicos.

Hoje, António Costa insistiu, várias vezes, que «este é o tempo da Justiça». «É o tempo para deixarmos a Justiça fazer o seu trabalho - a acusação acusar, a defesa defender-se. Aquilo que nos cumpre a todos é confiar nas instituições, confiar que a Justiça faça o seu trabalho e que a verdade seja apurada», afirmou.

O secretário-geral do PS e presidente da câmara de Lisboa defendeu também que se deve «respeitar plenamente o funcionamento das instituições». Algo que considera «muito importante para fortalecer o regime e para reforçar a confiança nas instituições».

Quando questionado sobre se José Sócrates poderia ‘ensombrar’ o futuro do PS, António Costa sublinhou que «há planos que são planos absolutamente distintos: aquilo que à Justiça cabe julgar, outra coisa é a apreciação histórica que se faz do contributo de ações governativas».

«O trabalho da Justiça incide sobre um caso concreto, mas que em nada afeta o orgulho que devemos ter em programas como o Simplex, o Novas Oportunidades, a importância do Plano Tecnológico ou a importância de termos tido o défice mais baixo de sempre na Democracia em 2007», referiu, dando exemplos de medidas da responsabilidade do Governo liderado por José Sócrates.

Para o secretário-geral do PS, «são juízos completamente distintos».

O PS tem agora, de acordo com António Costa, «o peso da responsabilidade de se afirmar como oposição e de construir uma alternativa para a governação do país».

«É preciso separar muito claramente aquilo que são os sentimentos pessoas de cada um, aquilo que é o trabalho que a Justiça tem que fazer e aquilo que é a atividade política. Num Estado de Direito é fundamental separarmos estes universos», defendeu.

O ex-primeiro-ministro José Sócrates vai ficar detido no Estabelecimento Prisional de Évora, onde já passou a noite.

José Sócrates é o primeiro ex-chefe de governo da história da democracia portuguesa a ficar em prisão preventiva, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção.

Os outros dois arguidos em prisão preventiva no âmbito do «processo Marquês», encontram-se presos preventivamente no Estabelecimento Prisional Anexo às Instalações da Policia Judiciária, na rua Gomes Freire, em Lisboa.